Diretor da Feifar recebe o Título de Cidadão Sul-Mato-grossense.

O diretor-tesoureiro da FEIFAR, LUIZ GONÇALVES MENDES JÚNIOR, Presidente do Sindicato dos Farmacêuticos do Estado do Mato Grosso do Sul, recebeu na noite de ontem (31), na Assembleia Legislativa do Estado do Mato Grosso do Sul o Título de Cidadão Sul-Mato-grossense, homenagem concedida pela casa de leis aos cidadãos que se destacam por trabalhos realizados a sociedade daquele estado.

Esse título é uma vitória para a categoria farmacêutica, pois demonstra que os profissionais e as entidades estão atentas aos anseios, não só da categoria, mas da sociedade. O reconhecimento externo de uma entidade como Assembleia Legislativa do Estado do Mato Grosso do Sul nos enche de orgulho por ter um diretor da Federação agraciado com tamanha honraria.

A Diretoria da Feifar parabeniza o Farmacêutico LUIZ GONÇALVES MENDES JÚNIOR, carinhosamente, chamado de LUIZÃO, pela justa homenagem recebida pelos representantes da sociedade Sul-Mato-grossense. Que este exemplo seja seguido em todos os Estados da Federação. “São educadores, trabalhadores, empresários, líderes políticos, religiosos e comunitários, homens e mulheres cujos exemplos nos honram”, afirmou o deputado Junior Mochi (MDB), presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, em referência aos homenageados com o Título de Cidadão Sul-mato-grossense e com a Comenda do Mérito Legislativo.

Foram homenageadas com o Título de Cidadão Sul-mato-grossense as seguintes personalidades: Adelina Maria Avesani Spengler, Ana Lídia Alves Reis Ascoli, Antônio Carlos Videira, Aparecido dos Passos, Ari Basso, Benedito de Oliveira Neto, César Luiz Galhardo, Cícero Rufino Pereira, Clóvis Gilberto Bertelli, Crispim Guimarães dos Santos, David Bobrow, Décio José Xavier Braga, Djalma Lino Gonçalves, Fernando Campanha Rios, Jeferson Luiz Tomazoni, João de Deus Gomes de Sousa, José Carlos da Silva, José Clarindo Capuci, José Lacerda Brasileiro, José Moacyr Fattor, José Roberto Ribeiro Pinto Júnior, Lucas Moura, Luís Cezar Ferronatto, Luiz Carlos Burali, Luiz Pedro; LUIZ GONÇALVES MENDES JÚNIOR, Marcos Antonio Canteiro, Mário Maurício Vasquez Beltrão, Nilva Santos, Orlando Lima Monteiro, Paulo Nascimento Sousa, Paulo Simões, Renato Rodrigues de Melo, Robert Ferter, Roberto Pedro Tonial, Sérgio Luiz da Silva, Taku Takahashi e Walter Vieira dos Santos.

Fonte: Feifar com informações da Assessoria de comunicação da AL/MS.

Com o apoio da Feifar farmacêuticos do Mato Grosso do Sul iniciam a campanha salarial 2018/2019

Na próxima quarta-feira, 10, acontecerá a Assembleia Geral Extraordinária dos farmacêuticos do segmento do comércio varejista do Mato Grosso do Sul. O evento faz parte da campanha salarial da categoria, que busca melhorias nas relações de trabalho para os seus representados. Entre as principais propostas que irão compor as cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) estão: o aumento do piso salarial e benefícios; melhoria dos adicionais, gratificações e prêmios.

As CCT’s são instrumentos normativos, onde um ou mais sindicatos representantes dos profissionais ajustam melhorias nas relações de trabalho por meio de negociação com os sindicatos representantes dos empregadores. Este ano as CCT’s terão um peso maior do que nos anos anteriores, pois a reforma trabalhista estabeleceu que as normas coletivas prevalecem sobre a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), tornando as CCT’s o principal instrumento de controle das relações entre empregador e empregado.

“A reforma trabalhista flexibilizou a negociação entre o farmacêutico e o empregador, colocando em risco direitos adquiridos. A CCT será o instrumento pelo qual coletivamente vamos evitar que isso ocorra e, portanto, é a melhor oportunidade para que os farmacêuticos apresentem seus argumentos durante as negociações”, destacou o presidente do Sinfar-MS, Luiz Gonçalves Mendes Jr.

O evento contará com a participação da Federação Interestadual dos Farmacêuticos (Feifar), representada pelo seu presidente, Renato Soares Pires Melo, pelo diretor residente no estado, Danilo Moreira Fagundes e pela assessoria jurídica da instituição. “Estamos em constante contato com os sindicatos da nossa base, para acompanhar as propostas e negociações das normas coletivas. Nosso objetivo é fortalecer os sindicatos para que sejam independentes e consequentemente, promovam benefícios e assistência aos farmacêuticos”, informou o presidente da Feifar.

Os interessados em participar podem enviar, até o dia 8/04, suas propostas de alteração, inclusão ou exclusão de cláusulas da CCT para [email protected], devidamente justificada e com a identificação do remetente. Todas as propostas serão compiladas em um documento que será apresentado na Assembleia Geral Extradordinária. O edital completo pode ser acessado no link https://bit.ly/2wlwhLw

Assembleia Legislativa e farmacêuticos do Mato Grosso do Sul discutem a criação do piso salarial

O deputado estadual Dr. Paulo Siufi, Presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, reuniu no Plenarinho Deputado Nelito Câmara, na manhã desta segunda-feira (22), Comissão técnica formada por farmacêuticos, para realização da última discussão do anteprojeto do piso salarial dos farmacêuticos do Estado de Mato Grosso Sul, antes de ser encaminhado pelo deputado ao Executivo.

Dr. Paulo Siufi tem lutado pelo piso salarial dos farmacêuticos, desde que assumiu seu mandato como deputado estadual na Assembleia Legislativa, no início desse ano, tendo realizado algumas reuniões e duas audiências públicas para discussão do piso.

O Projeto de Lei nº 83/2017, de autoria dos deputados Dr. Paulo Siufi, Mara Caseiro, Rinaldo Modesto e George Takimoto, que instituía o piso salarial para os farmacêuticos de Mato Grosso do Sul, no valor de R$ 3.478,00 para jornada de 40 a 44 horas semanais, foi retirado de pauta no dia 10 de maio, em acordo feito pelo deputado Dr. Paulo Siufi, com as lideranças.

Uma indicação assinada pelos 24 deputados foi entregue ao Governo do Estado, solicitando que o Executivo elaborasse uma proposta de piso salarial para ser encaminhada à Assembleia Legislativa para votação, para que não haja problemas quanto a constitucionalidade. Durante a entrega da indicação, o governador Reinaldo Azambuja, criou uma comissão técnica com os profissionais e pediu que Siufi estivesse a frente.

Na reunião de hoje, a Mesa foi composta pelo deputado Dr. Paulo Siufi, que presidiu a reunião, pela Presidente do Conselho Regional de Farmácia – CRF/MS, Kelle de Cássia Luz Slavec, pelo Presidente do Sindicato dos Farmacêuticos do Mato Grosso do Sul – SINFAR/MS, Luiz Gonçalves Mendes Júnior, pela Conselheira do Conselho Regional de Farmácia – CRF/MS, Márcia Saldanha e pelo Chefe de Gabinete da deputada Mara Caseiro, Clóvis da Motta, que esteve representando a deputada.

O deputado iniciou a reunião lendo os ofícios de convocação e as justificativas das ausências do Presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos de Mato Grosso do Sul – SINPROFAR/MS, Roberto Martins Rosa, que alegou não estar de acordo com o projeto e que achava sua presença desnecessária na reunião. Em ofício, Roberto Rosa também disse que estava tomando as devidas providências para impedir a aprovação e sancionamento do piso salarial dos farmacêuticos. Já a Conselheira Federal do Conselho Federal de Farmácia – CFF/MS, Ângela Cristina Rodrigues da Cunha Castro Lopes, disse estar cumprindo compromissos já agendados.

O presidente do SINFAR/MS, disse não existir motivos para retroceder e pediu aos farmacêuticos para seguirem na busca pelo piso salarial.

Kelle Slavec ressaltou o trabalho de Siufi junto aos profissionais, alavancando a causa dos farmacêuticos, que lutam por um salário mais digno. Slavec também falou sobre o momento único e histórico que estão vivendo.

Chefe de Gabinete da deputada Mara Caseiro, Clóvis da Motta, falou sobre o comprometimento da deputada com a causa.

Márcia Saldanha destacou a importância e desempenho dos profissionais no movimento, mostrando que a classe acordou e percebeu que juntos, os profissionais possuem mais força para lutar pelo piso.

“As pessoas estão vendo a nossa força, os acadêmicos estão participando conosco e nós não iremos parar”, destacou a Conselheira do CRF/MS.

Presidente da Comissão de Saúde da Assembleia, o deputado Dr. Paulo Siufi leu o anteprojeto e salientou a necessidade de encontrar um senso comum referente o piso salarial.

“Somos a favor da democratização, faremos com propriedade e principalmente, com bom senso. Precisamos ouvir o clamor da população e das categorias. Fico feliz quando vejo uma categoria mais unida e acadêmicos empenhados, lutando pela valorização da profissão e dos profissionais”, disse o deputado.

O anteprojeto foi assinado e em breve será entregue ao Executivo pela comissão técnica dos profissionais e pelo deputado Dr. Paulo Siufi.

DENÚNCIA

Alguns profissionais farmacêuticos que trabalham em farmácias e drogarias denunciaram que estão sofrendo assédio moral em seu local de trabalho por estarem apoiando o projeto de lei que institui o piso salarial dos farmacêuticos.

O presidente do SINFAR/MS ouviu as denúncias indignado e alertou os farmacêuticos, que denunciem.

“O sindicato não permitirá isso. Aqueles que estiverem sofrendo assédio moral denunciem pelo telefone: 3042-8090”, pediu.

Dr. Paulo Siufi chamou atenção para as denúncias levantas e pediu o fim do assédio moral e da retaliação com os profissionais, alertando que em Campo Grande há lei, de sua autoria, de Combate ao Mobbing no ambiente de trabalho, ou seja, um relacionamento hostil e imoral do empregador com o empregado.

O advogado do SINFAR/MS, Dr. Alberto Orondjian, orientou os profissionais que estejam sofrendo assédio moral a entrarem com medida individual no Ministério do Trabalho, acompanhados de provas, para que assim, as devidas providências sejam tomadas e que nos locais de trabalho haja fiscalização por parte do órgão competente.

Prefeitura garante pagamento à Santa Casa

Em reunião na manhã desta quinta-feira (12), na Prefeitura Municipal de Campo Grande, o atual prefeito, Marquinhos Trad, assinou um termo aditivo junto com o presidente da Santa Casa, Dr. Esacheu Nascimento, garantindo o repasse do recurso em atraso para pagamento dos salários dos funcionários do mês de dezembro de 2016. O prefeito se comprometeu em repassar R$ 18 milhões dos R$ 20 milhões previstos em contrato com a instituição entre hoje e amanhã.

O termo tem validade de até 90 dias e foi firmado a fim de garantir os salários referente aos meses de janeiro, fevereiro e março. A previsão é de que neste período seja assinada a nova contratualização da Santa Casa. Os R$ 2 milhões que ficaram pendentes não puderam ser efetuados segundo o secretário municipal de finanças, Pedrossian Neto, por questões burocráticas.

Sobre os R$ 3,2 milhões em atraso do mês de novembro, o prefeito de Campo Grande explicou que a administração passada não deixou os recursos empenhados e que a prefeitura não tinha autorização legal para efetuar o pagamento. Segundo Marquinhos Trad, a nova administração está trabalhando para que o repasse de novembro seja pago dentro do prazo de 90 dias.

A direção da Santa Casa, que havia recorrido à Justiça para receber os recursos do mês de novembro de 2016, anunciou que irá retirar o processo contra a prefeitura em função do acordo firmado.

“Ganhamos a questão na Justiça, que autorizou o pagamento por parte da prefeitura, mas o processo será extinto já que o atual prefeito se comprometeu fazer o repasse de tudo que ficou pendente na gestão do seu antecessor”, disse o presidente da Santa Casa, Dr. Esacheu Nascimento.

Estavam presentes na reunião o presidente do Siems (Sindicato dos Trabalhadores da Área de Enfermagem), Lázaro Santa, o presidente do SinMed/MS (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul), Dr. Valdir Shigueiro Siroma, a vice-presidente do Sintesaúde/MS (Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Mato Grosso do Sul), Clotilde Marques, o presidente do Sindicato dos Farmacêuticos de Mato Grosso do Sul, Luiz Gonçalves Mendes Júnior e o diretor técnico do hospital, Dr. José Roberto de Souza.

“Queremos continuar com essa parceria para que consigamos atender com qualidade e dignidade os pacientes que nos procuram”, finalizada Esacheu Nascimento. Atualmente a Santa Casa recebe em torno de R$ 20 milhões, sendo R$ 4,5 do Município, outros R$ 2,5 do Estado e pouco mais de R$ 13 milhões do governo Federal.”

Fonte: A Critica