+55 61 99398-8470
feifar@feifar.org.br

FARMACÊUTICOS CONQUISTAM NOVO PISO SALARIAL EM MEIO A PANDEMIA

FARMACÊUTICOS CONQUISTAM NOVO PISO SALARIAL EM MEIO A PANDEMIA

A pandemia do novo coronavírus trouxe uma série de incertezas e prejuízos para toda a sociedade.

Porém, a classe trabalhadora foi impactada com demissões, suspensões de contratos de trabalho e redução da remuneração proporcional a jornada de trabalho.

Os segmentos farmacêuticos, na contramão da situação econômica, cresceram, pelo menos 11% no período da pandemia.

NEGOCIAÇÕES COLETIVAS DE TRABALHO

Em meio ao turbilhão provocado pela pandemia, os Farmacêuticos do segmento de Farmácias e Drogarias do Estado do Tocantins, tiveram um reajuste salarial de 8,89%, elevando o piso salarial da categoria para R$ 4.577,33, para uma jornada de 40 horas semanais, a partir de 1º de agosto de 2021.

No Estado de Rondônia, os Farmacêuticos do segmento hospitalar, tiveram um aumento do salário base, que passou de R$ 3.195,00 para R$ 3.500,00, retroativo a 1º de junho de 2021, um aumento percentual de 9,5463%.

No início do ano de 2021, os Farmacêuticos do segmento do comércio varejista de medicamentos tiveram um aumento significativo do piso salarial, passando de R$ 3.531,84, para R$ 3.690,77, a partir de 1º de fevereiro de 2021. Um reajuste de 4,5%.

No Estado do Rio Grande do Norte, os Farmacêuticos do segmento atacadista de produtos farmacêuticos, tiveram o piso salarial reajustado para R$ 3.246,73 para a jornada de 40 horas semanais, um reajuste de 8,38% para o ano de 2021.

NEGOCIAÇÕES EM ANDAMENTO

Ainda estão em negociação, os seguintes segmentos.

  • Segmento hospitalar privado no Tocantins.
  • Segmento hospitalar privado no Distrito Federal.
  • Segmento hospitalar privado no Mato Grosso do Sul.
  • Segmento Farmácias e Drogarias no Distrito Federal.
  • Segmento Farmácias e Drogarias no Mato Grosso do Sul.
  • Plano de Carreira junto ao Governo de Rondônia.
  • Data base junto ao Governo do Tocantins.

Para o presidente da Federação Interestadual dos Farmacêutico, Renato Soares Pires Melo, “esses resultados demonstram o empenho dos sindicatos de farmacêuticos nas negociações junto ao segmento econômico”.

As negociações coletivas acontecem todos os anos, onde profissionais e empregadores, por meio de argumentos e convencimentos, acordam melhorias nas relações de trabalho entre profissionais e empregadores.

Algumas normas têm vigência de dois anos, outras de apenas um ano, conforme determinação legal.

Fonte: Federação Interestadual dos Farmacêuticos – Feifar

SIGA A FEIFAR NAS REDES SOCIAIS
Instagram.com/feifarbr
t.me/feifarbr